terça-feira, 21 de junho de 2016

FIQ Jovem 2016 - Aula 2

Nenhum comentário
Semana passada eu falei da primeira aula no curso de formação de quadrinistas do FIQ Jovem, e decidi então manter as postagens a respeito como semanais. Não sei se terei material (tempo também) para postar tudo, mas vamos seguindo que o destino cuida do resto ahuuhauha \o\

Para a aula dessa semana tivemos o dever de pensar em 5 histórias (premissas) para levar para sala de aula. Serão elas a nos guiar pela produção de quadrinhos até o final do ano, portanto era fundamental pegar algo com o qual você realmente quisesse trabalhar.

Acontece que eu me esqueci completamente dessa tarefa e fui me lembrar só na quinta feira, dois dias antes da aula. Eu estava no ônibus, mais ou menos exausta das 1h e 30 de viagem diária, e tinha uma enxaqueca como minha companheira. Daí peguei o caderninho, rabisquei umas coisas e voilà, lá vinham 10 plots para trabalhar. Não pensei em nada muito complexo, fui acessando as beiradas da minha mente e raspando o que tinha de aproveitável entre a dor latejante e o cansaço do dia.

Um dos plots que saiu
Não vou postar os plots aqui, naturalmente, mas deve dar para ir sacando à medida que eu for atualizando com os trabalhos que for fazendo ao longo das oficinas.

O que me lembra um meme que resume minha vida e o motivo deu sempre estar com um lápis e papel na mochila:


Enfim, separei os 5 temas mais fazíveis (levando em consideração minhas limitações no desenho) e levei para apresentar em sala de aula.

Tivemos a turma separada em 3 grupos de 8, e ficamos com um professor cada, para apresentarmos nossas ideias e termos tudo que foi construído quebrado por questionamentos, uhahuauh.

Ao contrário da maioria do pessoal da minha turma (e também indo contra a coisas que geralmente produzo), escolhi cinco quadrinhos e premissas cômicas. Eu estou longe de ser uma pessoa engraçada, mais longe ainda de saber contar uma piada, mas acabou que esses temas foram bem mais confortáveis de serem pensados do que qualquer outro drama ou conceitual (que ficou em esmagadora maioria dentre as histórias que ouvi).

Daí passamos a aula toda assim, discutindo histórias e rearranjando eventuais problemas nelas, para então recebermos nossa próxima tarefa: desenhar um quadrinho de cada história, definir sua premissa e resumir a história que se quer contar em uma frase.

Um dos quadrinhos prontos
Dessa vez eu anotei e já comecei a fazer, para não correr o risco de me lembrar só na quinta feira! haha

Aí, não tem a ver com o curso, mas fico feliz em poder comparar a evolução desse meu traço pra quadrinho em 2 anos \o\ É bastante tempo, e eu poderia ter melhorado muito mais, mas a minha negligência na prática piora tudo.

Com esse curso, e eu me obrigando a desenhar pelo menos uma vez por dia, talvez daqui 2 anos eu tenha algo muito melhor pra mostrar :)

2014


2016
OMG que mudança! Mas ainda tenho um caminho muito longo para seguir se quiser ficar assim um dia:


Tenho em mente que meu maior problema com o desenho não é nem o colorido (apesar de parecer) ou minha falta de noção da estrutura corporal, mas a minha impaciência. Na ânsia de acabar logo um quadrinho eu começo a deixar tudo sem finalizar. Preciso aprender a ter paciência antes de aprender a desenhar um corpo humano em proporção. Orz

E é isso!
Até semana que vem! \o\

Nenhum comentário :

Postar um comentário